Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Domingo à tarde

Não gostas, queres ver!

Domingo à tarde

Não gostas, queres ver!

19
Out17

Tragam-me a cama, precisamos de conversar

David Marinho

O cansaço das horas mal dormidas apoderou-se de mim. Sinto os olhos cansados, pesados, vergados a um peso tal que só pode ser comparado a uma bigorna que acaba de cair do centésimo andar. E vou olhando o relógio que teima em estar parado, tal é a lentidão com que anda como se nunca tivesse andado.

Esperava que fosse mais tarde (esperamos sempre), na ânsia solene de que o dia de trabalho acabe, ou a noite de trabalho, para que regresse à minha cama e me permita estar um par de horas perdido nos laços dos sonhos e dos mundos paralelos.

A cama que é, num estado caótico como este, como algodão debaixo de mim, que se vai ajeitando às minhas curvas, que vai fazendo parte dos grunhidos de satisfação que vou lançando enquanto me deixo levar pelo descanso do esforço mental de me manter acordado.

E hoje quero, agora quero, como se tratasse de uma prenda de Natal, que me tragam a cama. Desejo-a ardentemente porque há dias que devo horas a ela e nunca gostei de dever nada a ninguém.

27
Set17

Quero cama!!!

David Marinho

Adorava ser daquelas pessoas que fala muito de manhã. Daquelas que conseguem recitar poemas na entoação correcta, que estendem qualquer resposta, que exemplificam, esmifram e picam no cucuruto até ao tutano da vida. Das que acordam ao som de canções, com vontade de correr, fazer um pequeno almoço recheado e diferente dos outros dias, que quando chegam ao trabalho já levam 35 mensagens, uma chamadita rápida no Skype, 2 chamadas de voz, dois acertos de relatórios, pelo menos 3 jornais diários com as gordas lidas e o café tomado.

Adorava mas neste momento só vejo a cama como a minha meta, o meu grande objectivo de vida. E que não pensem que é fácil aguentar os dois chaimites potentes como são as minhas pálpebras, que mais do que pesarem sobre os olhos, pesam-me na alma. E essa a esta hora do dia é tão pequenina. Ou grande para tão glamorosa coragem de se manter acordada.

Ainda tenho umas férias para comentar mas como podem imaginar...só de pensar até me dá vontade de chorar! 

14
Set17

Entre o coma e a lucidez de um rato

David Marinho

Querem realmente saber o que me irrita? Adiar o sono mesmo quando estou quase em coma.

Tudo porque quero ter sono na hora certa para dormir e quando chego lá...não tenho sono. Mas se durmo de dia, à noite não existem mais cartuchos. Tudo isto me apoquenta. Tudo.

Entretanto, fontes próximas de família, indicam-me que tenho uma tab no browser que diz "Pastéis de Bacalhau". 

Questiono-me: quem o fez e para quando esses pastéis. É que isto de abrir páginas de Internet e procurar por estas salgadices e não as fazer tem de acabar. 

Ou terei sido eu neste ponto entre o coma e a lucidez de um rato? Se fui, porquê pastéis de bacalhau se eu até gosto mais de lulas recheadas?

Quero respostas. E dormir.

Começa a ser óbvio nos últimos tempos que preciso muito de reparar o sono, não é?

O que procuras?

Autor disto

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Instagram

Blogs Portugal

O que já foi escrito

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D