Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Domingo à tarde

Senta-te, desfruta e serve-te enquanto vou ali fazer uma sestinha

Domingo à tarde

Senta-te, desfruta e serve-te enquanto vou ali fazer uma sestinha

13
Jun17

Segurança de bairro

David Marinho

Percebo Pessoa, quando se sentra em frente à janela a observar em silêncio as pessoas na rua. Imaginamos os diálogos, os gestos característicos, quem passa e quem não passa, com uma atenção tal que podíamos ser perfeitamente o segurança do bairro que tanto nos falta. É que o tempo aqui flui, como ler, escrever ou ouvir música. O tempo é despido de carne, porque isso é que não percebo porque custa tanto a passar às vezes, e noutras tão pouco - inexplicável? talvez. Gosto da sensação de ser transportado para uma vida paralela, onde podemos errar, treinar e medir a força das coisas como bem entendermos. É que nesta vida - a real - tudo tem um peso e medida, e consoante o tempo, a pessoa ou o espaço, tem diferentes interpretações, o que nunca foi bom. Não digo que a vida em paralelo filtrasse o erro mas filtrava a inexperiência, a inabilidade, a inconstância. 

 

 

22
Mai17

Sabem o cheirinho a café pela manhã?

David Marinho

Tinha escrito aqui ontem que o café é aquele vício que fica mas que não faz efeito nenhum. Aliás, é possível que até sinta sono mas dores de cabeça não tenho à custa disto. Quem não bebe terá outros vícios (talvez piores) mas quem gosta deste néctar dos deuses, sabe o quão incrível é até sentir o cheiro ao longe quando passamos num quiosque, num café, numa copa de qualquer empresa pela manhã. O café é um vício e nenhum é bom, e talvez a saúde agradecesse se não bebesse os meus três cafés diários (já sei, três nem chega a ser assim tanto) mas preciso...muito. Curiosamente os rebuçados de café são a invenção mais descabida de sempre - isso e ananás na pizza. E para terminar, eis um registo desta temática para tornar a publicação superior.

 

O moinho de café

O moinho de café

 

O moinho de café

Mói grãos e faz deles pó.

O pó que a minh’alma é

Moeu quem me deixa só.

Fernando Pessoa

 

créditos da imagem

O que procuras?

leituras-verao-mrec

Quem sou eu?

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
Imagens retiradas do banco de imagens Pexels, quando não são da minha autoria. Entrem em contacto comigo caso queiram ver apagadas as fotos que sejam do vosso direito e da vossa autoria.