Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Domingo à tarde

Senta-te, desfruta e serve-te enquanto vou ali fazer uma sestinha

Domingo à tarde

Senta-te, desfruta e serve-te enquanto vou ali fazer uma sestinha

08
Jun18

São pessoas de ideias fixas?

David Marinho

art-blueprint-brainstorming-8704.jpg

Sou pessoa de ideias fixas mas maleáveis. 

Faz sentido?

Tive esta ideia ontem quando, numa formação sobre Programação Neurolinguística, permitiu-me descobrir que por trás de qualquer processo emocional, há um outro processo escondido, uma intenção, um outro pensamento. 

Com isto pude movimentar uma ideia que fixei durante todo o meu crescimento e pensar noutra perspectiva. É por isso que eu acho que a educação é importante, mas igualmente importante é podermos relacionarmo-nos com pessoas totalmente diferente de nós, porque isso nos dará perspectivas diferentes sobre tudo aquilo que pensamos.

Verbalizar todos os nossos pensamentos ajuda-nos a desmascarar problemas relativos ou problemas reais, medos, receios, etc. E realmente faz sentido.

Quantas vezes não nos sentimos melhor por verbalizar algo que nos preocupa?

(Poderá haver aqui um despoletar de uma enxurrada de preocupações, mas...mandem tudo cá para fora)

Mas a ideia que mais me marcou foi a de que por trás das intenções de um pedófilo, homicida, suicida, etc, há uma intenção positiva. Visto por alto é uma aberração de ideia, mas faz todo o sentido. É um distúrbio que poderá advir de uma necessidade enorme e extrínseca de amor, de afecto, de aceitação, que mesmo que não tenha a ver com o teor dos actos que promovem, são problemas por vezes impossíveis de descortinar.

O que acham disto tudo?

 

10
Ago17

Ioga de casa de banho. Experimentem!

David Marinho

Ando preocupado, minha gente. Eu neste momento ando numa fase mais egoísta da minha vida, em que acho que preciso de fazer mais coisas que me dêem prazer, do que propriamente por necessidade. Esta rotina de casa <--> trabalho <--> casa é uma canseira! Preciso de apanhar ar fresco (podia aproveitar, agora até há vento que sobra), uma bebida branca (ou duas) a mais na veia para despertar a estupidez (mais ainda) e desinibir-me perante meia dúzia de hippies filandeses que me dirão, certamente de uma forma muita lenta, que isto tudo é paz e amor e eu vou encaixar isso e viver numa ganza permanente da minha vida (Agora a sério...foi bonito, digam lá. Foda-se!).

 

Aaah foda-se! 2 leitores saíram daqui.

 

Voltem. Miss you people! 

 

Agora mesmo a sério. Não sou egoísta por natureza, mas esta necessidade prende-se com o facto de não ter ainda independência. E creio ter chegado a hora de sair do ninho - onde pairei quase 3 décadas - por amor à minha sanidade, à minha vontade de desabrochar ao mundo. Sem pudores, com responsabilidade e muito amor. 

 

Não é despir-me, atenção. Não saio de casa, dispo-me na rua e digo "AQUI VOU SER FELIZ!!". Não chego a tanto, vá. É um desabrochar emocional, uma espécie de ioga de casa de banho. Nunca ouviram falar?

 

Nem eu.

O que procuras?

leituras-verao-mrec

Quem sou eu?

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
Imagens retiradas do banco de imagens Pexels, quando não são da minha autoria. Entrem em contacto comigo caso queiram ver apagadas as fotos que sejam do vosso direito e da vossa autoria.