Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Domingo à tarde

Senta-te, desfruta e serve-te enquanto vou ali fazer uma sestinha

Domingo à tarde

Senta-te, desfruta e serve-te enquanto vou ali fazer uma sestinha

08
Jun18

São pessoas de ideias fixas?

David Marinho

art-blueprint-brainstorming-8704.jpg

Sou pessoa de ideias fixas mas maleáveis. 

Faz sentido?

Tive esta ideia ontem quando, numa formação sobre Programação Neurolinguística, permitiu-me descobrir que por trás de qualquer processo emocional, há um outro processo escondido, uma intenção, um outro pensamento. 

Com isto pude movimentar uma ideia que fixei durante todo o meu crescimento e pensar noutra perspectiva. É por isso que eu acho que a educação é importante, mas igualmente importante é podermos relacionarmo-nos com pessoas totalmente diferente de nós, porque isso nos dará perspectivas diferentes sobre tudo aquilo que pensamos.

Verbalizar todos os nossos pensamentos ajuda-nos a desmascarar problemas relativos ou problemas reais, medos, receios, etc. E realmente faz sentido.

Quantas vezes não nos sentimos melhor por verbalizar algo que nos preocupa?

(Poderá haver aqui um despoletar de uma enxurrada de preocupações, mas...mandem tudo cá para fora)

Mas a ideia que mais me marcou foi a de que por trás das intenções de um pedófilo, homicida, suicida, etc, há uma intenção positiva. Visto por alto é uma aberração de ideia, mas faz todo o sentido. É um distúrbio que poderá advir de uma necessidade enorme e extrínseca de amor, de afecto, de aceitação, que mesmo que não tenha a ver com o teor dos actos que promovem, são problemas por vezes impossíveis de descortinar.

O que acham disto tudo?

 

21
Fev18

O lado humano da vida

David Marinho

Há dias discutia com alguém sobre quais as razões das coisas vintage estarem na moda. Dizia-me tal pessoa que era apenas porque a moda se recicla, como a própria vida. Mas a minha teoria vai mais longe: o vintage existe, não só pela necessidade de se querer reviver as coisas do passado, mas porque com a idade procuramos ter aquilo que achamos ser muito mais trabalhado (e por si só mais "belo"). E pude comprovar isso, quando ao passar numa dessas lojas famosas que vendem tudo (perceberam a minha fuga à publicidade gratuita?), e ao verem uma máquina de café de uma marca que é conhecida por ter uma linha vintage, tiveram o mesmo pensamento. O toque da máquina metálico, os mostradores com ponteiros antigo, as linhas que caracterizavam os velhos tempos, tudo. E isso traz vontade de levar para casa. É que o tempo conseguiu pôr milhões de coisas numa caixa, facilitando o transporte, a forma de manusear, de trabalhar, tudo. Mas ter tudo "espalhado", essa dificuldade trazia pessoas para mexer nas coisas. Tornava tudo muito mais humano e por si só "menos trabalhoso". A facilidade de viver tirou o lado humano às coisas, e é por isso que esta máquina de café é a personificação do que a idade vai pedindo com o passar dela: um sentido últil de viver.

O que procuras?

leituras-verao-mrec

Quem sou eu?

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
Imagens retiradas do banco de imagens Pexels, quando não são da minha autoria. Entrem em contacto comigo caso queiram ver apagadas as fotos que sejam do vosso direito e da vossa autoria.