Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Domingo à tarde

Senta-te, desfruta e serve-te enquanto vou ali fazer uma sestinha

Domingo à tarde

Senta-te, desfruta e serve-te enquanto vou ali fazer uma sestinha

01
Jul18

Vício de merda do telemóvel (sem ofensa, telemóvel)

David Marinho

Hoje vou tocar na ferida.

Em anos, talvez muitos anos, vim trabalhar sem telemóvel. Isto para muitos afigura-se como uma situação normal, para outros uma situação que acontece, e para outros é uma situação, além de estranha, meio complicada. Eu admito aqui no auditório que tenho uma certa dependência por aquele objecto, porque tudo na minha vida está ali dentro. Eu escrevo no blogue através do telemóvel muitas vezes, agenda, calendário, calculadora, redes sociais, livros, música, filmes, séries, etc, etc. Eu se pudesse contabilizar o tempo que passo com  tal objecto, diria que preenche uns bons 90% do meu tempo livre.

Deveria mudar, mas fazer o quê?

E por isso há hora que idealizei este texto, fi-lo num computador, com vontade de simplesmente desbloquear o telemóvel e ver as horas, por exemplo. Está estudado que fazemos coisas demasiado banais com o telemóvel à custa do vício, sem nos darmos conta.

Quase aposto que não estou sozinho nisto. Ou estou?

android-wallpaper-artistic-asphalt-799443.jpg

21
Ago17

Café. (não preciso de dizer mais nada)

David Marinho

Há qualquer coisa no café que vicia, e desenganem-se se pensam que é a cafeína. É o ato em si, o de pegar numa chávena ou copo de plástico cheio desse adornado líquido que faz com que nos viciemos cada vez mais. Há quem fume porque precisa do fumo, porque tem de ter o cigarro entre os dedos. Há quem coma, porque precisa de estar a mastigar como se fosse um entretém. Eu bebo café, chego a beber 4 por dia, 5 na loucura e não me tira o sono. Antes pelo contrário, chego a pensar que faz cama no estômago e até me aconchega. E o cheiro que emana? Às vezes pergunto-me se o que preciso mesmo é de o beber ou de o cheirar, é que às vezes só de cheirar já fico mais desperto, mais atento. Não me tirem a alegria com os "muitos cafés fazem mal" ou "nem devias beber café" ou "devias beber um, com muita sorte" porque é a única coisa que o cérebro habituou-se a processar de manhã.

 

créditos da imagem

22
Mai17

Sabem o cheirinho a café pela manhã?

David Marinho

Tinha escrito aqui ontem que o café é aquele vício que fica mas que não faz efeito nenhum. Aliás, é possível que até sinta sono mas dores de cabeça não tenho à custa disto. Quem não bebe terá outros vícios (talvez piores) mas quem gosta deste néctar dos deuses, sabe o quão incrível é até sentir o cheiro ao longe quando passamos num quiosque, num café, numa copa de qualquer empresa pela manhã. O café é um vício e nenhum é bom, e talvez a saúde agradecesse se não bebesse os meus três cafés diários (já sei, três nem chega a ser assim tanto) mas preciso...muito. Curiosamente os rebuçados de café são a invenção mais descabida de sempre - isso e ananás na pizza. E para terminar, eis um registo desta temática para tornar a publicação superior.

 

O moinho de café

O moinho de café

 

O moinho de café

Mói grãos e faz deles pó.

O pó que a minh’alma é

Moeu quem me deixa só.

Fernando Pessoa

 

créditos da imagem

O que procuras?

leituras-verao-mrec

Quem sou eu?

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
Imagens retiradas do banco de imagens Pexels, quando não são da minha autoria. Entrem em contacto comigo caso queiram ver apagadas as fotos que sejam do vosso direito e da vossa autoria.