Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Domingo à tarde

Senta-te, desfruta e serve-te enquanto vou ali fazer uma sestinha

01.Dez.17

Temos forma de lidar com o sofrimento?

David Marinho

Este falecimento do Zé Pedro fez-me pensar muito sobre a morte, o desaparecimento da vida, sobre tudo. Não a figura em si, que era muito conhecida e eu cheguei a vê-lo ao vivo mais do que uma vez, mas tudo o que recai sobre o momento.

Nós ao longo dos séculos fomos inventando tudo o que não havia, e fomos melhorando o que já estava feito. Inventámos até forma de prolongar a vida, sabendo que evitar a morte era inconsequente mas prolongámos o tempo que nunca foi nosso. Mas nunca soubemos inventar forma de ultrapassar no momento a falta, a saudade, o desaparecimento. O sofrimento que fica por não vermos, não falarmos, não escutarmos o que não existe, para isso nunca ninguém inventou o que quer que seja, e eu não consigo perdoar uma falha dessas. Não há livros de auto-ajuda, palavras de conforto para preencher o vazio porque a única forma que encontrámos para preencher a lacuna foi com conhecimento ou conteúdo. E um corpo morto não tem nem uma nem outra. Já diziam os humoristas que o humor existe porque somos o único ser que tem consciência que vai morrer, e eu não discordo. Sabemos o destino mas não sabemos lidar com ele senão a rir, mas nada disto nos faz rir. 

E foi nisto que pensei, que devíamos inventar forma de lidar com o sofrimento. A humanidade agradece.

 

01.Dez.17

Bem-vindo Dezembro!

David Marinho

Resultado de imagem para dezembro tumblr

Dezembro é um mês muito especial, por diversas razões. Primeiro, porque irá findar o ano e tudo o que finda tem um significado emocional muito forte, o que nos leva a refletir sobre o ano que passou. Segundo, porque entra o Inverno que tem várias conotações, independentemente se vivemos ou não um período de seca monumental. Inverno é neve, frio desmesurado, mesmo que as temperaturas possam rondar os 15 graus e nunca ter nevado. Terceiro, é o mês do Natal, das luzes, dos doces, das famílias, e para quem o Natal não diz nada, acaba por ser sobretudo uma época de falsidade e consumismo. Não é mentira mas...sonhar ainda é de borla, longe dos significados reais das coisas - perguntem às crianças como é viver feliz. 

 

Quanto ao primeiro ponto, irei refletir muito sobre este ano, que de certa maneira foi de melhorias. Felizmente não piorei em nada, apenas cresceram-me 2 cabelinhos brancos que vão ficar e testemunhar a passagem do tempo. Falarei sobre isso mais à frente até porque o período de reflexão que antecede a passagem do ano permite-me perceber quão complicado é este assunto, o da passagem do tempo. E vale a pena perceber porquê. A seu tempo...

 

imagem

 

 

Pág. 8/8