Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Domingo à tarde

Senta-te, desfruta e serve-te enquanto vou ali fazer uma sestinha

27.Set.18

Quando o medo de ratos é amor

David Marinho

O que me rio com o teu medo de ratos. A forma desmesurada com que me agarras, chateada ou não, quando vês um. Chego a querer que apareça uma praga para que te seja sempre útil e amparo nas horas mais amargas.

Lembras-te de como era ao início? Morria de medo de não ser útil. De não saber mostrar o suficiente para causar impacto.E olha hoje, basta um rato indefeso. Percebi que nossa utilidade vem com as oportunidades e com o tempo, e que a paciência e persistência são truques na manga e um sopro no coração. Quem ama na ânsia de perder, quem consegue esperar?

"Olha...o rato não quer sair (já tinha ido). Parece-me que vais habituar nos meus braços um bocadinho mais...."

Toda a vida.

6 comentários

Comentar post