Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Domingo à tarde

Senta-te, desfruta e serve-te enquanto vou ali fazer uma sestinha

15.Nov.17

#11 Chucha-me o nabo

David Marinho
O bom que levo desta vida é o de poder olhar para as pessoas, para pessoas e tudo o que trazem com elas. Existem olhares, uns cheios de vida e outros tão vazios e todos eles coabitam, constroem o mundo onde vivemos. E hoje, enquanto fazia o meu trajeto de comboio, pensei muito nisto: podem duas entidades opostas emocionalmente coabitar o mesmo espaço? Não pode com isso haver uma transferência de energia, que possa, das duas, uma: ou acabarem as duas num estado emocional igual ou uma (...)
08.Nov.17

#10 Chucha-me o nabo

David Marinho
Imaginei-me a escrever Versos tais que emocionavam O sal ateu Das lágrimas que latejavam A cada passo teu.    Imaginei-me despido do preconceito que é corresponder a mágoas empobrecidas de paixão de gente que não sabe ter tino no coração.     E fui caminhando porque caminhando eu sei o caminho que a obra faz crescer  do Algarve até ao Minho,  até o sol nascer.   
01.Nov.17

#9 Chucha-me o nabo

David Marinho
Faltam 6 minutos para o metro e servirão para vos escrever. 6 minutos que separam a minha inércia da minha não inércia e que separam 10 pessoas na plataforma para 120. Mas que raio de boom foi este de turismo? Eu sei que o facto de estar neste país há quase 30 anos me faz ter uma opinião quase aversa às qualidades do mesmo, e que acho, por exemplo,  Salamanca uma cidade incrível para se estar e viver (ainda não vos falei das minhas férias, pois não?) e que as pessoas dessa (...)