Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Domingo à tarde

Senta-te, desfruta e serve-te enquanto vou ali fazer uma sestinha

15.Jul.18

Só os doidos amam, não é?

David Marinho
Os meus olhos humedecem quando falo o teu nome. Não sei se são de esperança ou de alegria, que vão criando olheiras de cansaço e vão acalmando os ombros da tensão acumulada. Mas quando falo o teu nome, preciso de olhar para bem longe, para lá do horizonte, respirar longamente esperando que as lágrimas se arrependam e fiquem onde estão.É que o amor quando tem apenas uns dias, é tudo muito fogoso, muito rápido, muito novinho, com cheiro a pintado de fresco. Mas o tempo trata de (...)
06.Abr.18

Não te deixarei, Sporting Clube de Portugal

David Marinho
Nem gosto muito de vir para aqui falar de bola porque entendo ser um espaço de partilha quase familiar, de assuntos que possam roçar (ou não) o conforto e o prazer de viver, longo dos assuntos inflamados como a bola. Mas como em tudo na vida, quando algo me inquieta, algo me chama para aqui para me libertar.Como Sportinguista com "S" grande, vai sendo por estes dias um vivenciar de momentos complicados, e mesmo em total respeito, não deixa de ser difícil aguentar. Falo nisto porque (...)
18.Dez.17

O que podia ter sido e não fui

David Marinho
Imagino-me um pianista a entrar em palco numa sala pequena, apinhada de gente. E ao entrar, aceno, com os dois holofotes que me apagam e me isolam da multidão que só pede para me ouvir. Antes de me sentar, ajeito as abas de grilo do casaco, que aluguei numa casa de casamentos para a ocasião, e sento-me. Olho as sete oitavas que compõem a minha arte, a minha cultura, a minha vida e deslizo os dedos através delas, fechando os olhos para me fixar no que transmito e abrindo-os para fixar (...)