Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Domingo à tarde

Senta-te, desfruta e serve-te enquanto vou ali fazer uma sestinha

05.Out.18

Memória rima com música

David Marinho
Merda. Descobri que existem música que nos lembram pessoas, mesmo que sejam de outros tempos. Músicas que fazem isto não nos deviam aparecer como sugestão porque isso sugere pessoas que já não estão cá, mesmo que quiséssemos.  Tudo tresanda a memória. Aliás, músicas que nos lembram pessoas costumam ser as suas favoritas e isso não se faz. Ninguém tem o direito de nos empurrar para o leito da memória eterna. Acham que somos de ferro? Descobri o horizonte desfocado, para (...)
12.Mai.18

Não devíamos poder dizer adeus

David Marinho
Não devíamos. Ninguém tem o direito de fugir de nós sem aviso prévio, em carta registada e dando uns 150 anos à casa, quando já teremos partido e a dor passada a outros - só o egoísmo afasta o espectro da morte mas vai aproximando outras bem piores, que nos vão matando devagarinho. Seria tão fácil desligarmo-nos de um familiar, de um amigo, de um amor para a vida, como desligamos a luz ou fechamos a porta de casa. Perder no ouvido a voz timbrada de alguém que nos é tanto, é (...)
16.Mar.18

As pessoas que nos fogem pelos dedos

David Marinho
Faz hoje 5 anos que escrevi isto: "Não encontro palavras para descrever o que a vida por vezes é. Não encontro paralelo na história os momentos e a hipocrisia que a vida, por vezes, tem. Mas senti no corpo, no profundo do meu ser, nas lágrimas, o que a vida nos pode fazer. E por isso não compreendo que a mesma tenha a validade que tem para uns e para outros não. É a vida! E gostaria, não por estes dias e muito menos por hoje, que vivêssemos um bocadinho acima das nossas (...)